Os 5 maiores desafios dos Empreendedores Pernambucanos – FCAPJR. Consultoria

Os 5 maiores desafios dos Empreendedores Pernambucanos

Os 5 maiores desafios dos Empreendedores Pernambucanos

“É bom comemorar o Sucesso, mas é mais importante prestar atenção às lições do fracasso” (Bill Gates)

O ritmo de crescimento do Recife não é o ideal para o Empreendedor Pernambucano: de acordo com Estudo realizado pela Endeavor, a cidade saiu da 4ª posição para 16ª no ICE (Índice de cidades de empreendedoras) de 2015 para 2016.

Crise Econômica no país, violência crescendo exponencialmente na cidade, caos na mobilidade urbana… É, o índice de empreendedorismo da cidade tem uma justificativa aparente para ter reduzido tanto: Recife não é mais o ambiente ideal para Empreender.

Mas… como em todas as situações, as pessoas tem duas opções: deixar se abater pela crise ou não dar desculpas e correr atrás dos resultados. Sim, Recife tem seus defeitos. Sim, a cidade carece de infraestrutura para quem quer Empreender – Mas sim, a cidade também tem seus encantos e histórias de sucesso.

Seja as empresas do Porto Digital, Food Trucks ou Cervejarias, vários são os casos de sucesso de empresas que prosperaram na capital Pernambucana, mesmo nesse período de instabilidade econômica.

Ou seja, é você o responsável por decidir se a história da sua empresa vai ser caso de sucesso ou de fracasso. Os desafios vão sempre existir e serão diários, portanto, cabe ao Empreendedor decidir como vai enfrentá-los.

A recompensa, contudo, vale à pena: ver o resultados financeiros naquele empreendimento que você sempre sonhou em tirar do papel é indescritível.  Para isso, é preciso  saber lidar com o meio externo e mitigar os desafios internos.

A Endeavor, organização que apoia Empreendedores, fez recentemente um estudo e descobriu os cinco maiores desafios dos Empreendedores.  Nós, a partir da nossa experiência de 28 anos no mercado de Pernambucano, percebemos algumas tendências em cada desafio, considerando o cenário do nosso Estado. Nesse texto, iremos abordar esses desafios e respectivos planos de ação para vencê-los.  

1º Desafio: Gestão de Pessoas

mm

Um ambiente propício para geração de resultados formado por colaboradores comprometidos e motivados é o sonho de qualquer Empreendedor que busca o sucesso.  É um fato que nem sempre isso é possível: de acordo com essa pesquisa a maior dor dos Empreendedores está na gestão de pessoas.

A dificuldade da criação de lideranças dentro das equipes e falta de motivação dos colaboradores são os dois grandes empecilhos para uma gestão efetiva.

Para a questão da liderança, o plano de ação proposto pela Endeavor foi o de criar mais práticas de liderança dentro das empresas.Nós, da FCAP JR. Consultoria, achamos importante que o gerente confie na equipe a fim de torná-la autônoma e independente.

Fornecer treinamentos, deixar os colaboradores mais livres nas tomadas de decisão – fazendo sempre o monitoramento do time – e criar situações onde a liderança dos mesmos possa ser testada são algumas práticas.

Já em relação à motivação de funcionários, é importante que desde o recrutamento dos mesmos haja uma preocupação em escolher pessoas que possuam valores parecidos com o da empresa. Em primeiro lugar, é essencial possuir os nortes da cultura organizacional bem definidos, para que seja possível implementá-la na empresa.  

trrilha Não é um processo rápido, mas é essencial possuir uma cultura bem definida na empresa para que se possa recrutar pessoas alinhadas com essa cultura.

Dessa forma, todas as pessoas dentro da empresa passam a trabalhar com o mesmo objetivo. Quando a empresa toda está voltada para um único objetivo – a Visão – fica muito mais fácil atingi-lo e por consequência, há uma maior motivação dos colaboradores.

Além disso, a falta de motivação pode ser gerada por vários fatores: como um plano de ascensão mal estruturado, visto que muitas empresas não possuem um plano de cargos e salários bem definido; uma comunicação difícil entre os níveis hierárquicos, já que às vezes não há um canal aberto entre os gestores e os funcionários; e a falta de uma gestão participativa, dado que muitos funcionários às vezes sentem que não tem voz.

Existem alguns planos de ação para esses desafios: com uma Pesquisa de Clima Organizacional, é possível saber quais os principais problemas existentes dentro da empresa, visando a criação de ações corretivas ou preventivas. Já por meio de uma Avaliação de Desempenho, é viável analisar o desempenho de cada funcionário e a partir daí, criar metas individuais para cada um – além de motivá-los ao reconhecer as qualidades de cada indivíduo.

A partir de uma prática para criação de lideranças e de motivação da equipe,  a produtividade da empresa, como um todo, tende a crescer.  Principalmente quando os colaboradores sabem quais habilidades e competências precisam desenvolver e um gestor que tem consciência dos aspectos críticos que afetam o ambiente de trabalho.

2º Desafio: Gestão Financeira

A gestão financeira é um desafio constante para a grande maioria – senão todas – as micro e pequenas Empresas Pernambucanas. Segundo o SEBRAE, a má gestão é uma das principais causas de mortalidade das empresas.

Confundir o dinheiro pessoal com o da empresa, a má execução de um planejamento financeiro e a não implementação de indicadores financeiros são alguns dos erros básicos.

Em primeiro lugar, é importante que o Empreendedor considere a Empresa como um investimento e não como uma fonte de renda imediata. Em muitos dos casos, o dinheiro pessoal é confundido com o dinheiro da empresa, o que acaba mascarando o lucro real.

Ao analisar a empresa como investimento, o Empreendedor passa a ter uma uma noção mais estratégica de suas ações, criando indicadores e planos de ação para que se possa chegar ao objetivo financeiro. É relevante também possuir bem definido o ROI (Retorno sobre Investimento) para que a estratégia seja traçada de acordo com o real potencial da empresa. Esse planejamento financeiro é essencial para que o Empreendedor possa tomar decisões mais assertivas quanto ao futuro.

Além disso, a má gestão financeira se dá, na maioria das vezes, por falta de conhecimento técnico. Um grande desafio está na gestão de fluxo de caixa, isto é, um controle da Entrada e da Saída de dinheiro. O que acontece geralmente é que o Empreendedor pode enganar a si próprio ao tirar ou colocar dinheiro no caixa e não registrar, acreditando que não irá fazer diferença para o controle financeiro.

Como se os desafios internos não fossem o suficiente, há ainda o caos de Impostos e Juros no meio externo para lidar. O orçamento das despesas públicas da prefeitura com empreendedores caiu em 25,4% no último ano em Recife, segundo o ICE, o que pode explicar o aumento nos juros e impostos.

Sabemos que não é fácil lidar com tantos desafios. Mas, não se preocupe: esse problema é praticamente geral para todas as Micro e Pequenas Empresas. Se você ainda não sabe se tem problemas de gestão financeira, fizemos uma lista com os 12 principais erros cometidos na gestão financeira.

  1. Não controlar corretamente o Fluxo de Caixa (ou não controlar)
  2. Não saber o valor das contas a pagar e das contas a receber
  3. Ignorar gastos ocultos e pequenas despesas
  4. Vender seus produtos ou serviços por um preço errado
  5. Não medir corretamente o desempenho da empresa
  6. Não saber o valor dos estoques/valor patrimonial da empresa
  7. Não administrar corretamente o capital de giro 
  8. Não fazer um fundo de reserva para demissões, 13º salário e férias dos funcionário
  9. Não saber estipular um pró-labore
  10. Não saber o valor das despesas fixas
  11. Não separar as finanças pessoais das finanças da Empresa (erro de 56% dos Empreendedores
  12.  )
  13. Não fazer uma análise financeira constantemente (para saber como fazer uma Análise, leia esse guia completo que preparamos)

Caso você se identifique com algum, está na hora de procurar uma ajuda profissional para esse problema. Afinal, uma empresa sem uma estruturação financeira nunca vai conseguir trazer o Retorno tão esperado.

 

3) Burocracia

Recife é a quarta cidade mais demorada do Brasil para se abrir um negócio

burocracia

Demora-se cerca de 151 dias para se abrir uma empresa em Recife. Como se não bastasse a tamanha burocracia e papelada, o problema na Regulação de Impostos continua quando o negócio já está montado.

De acordo com estudo Realizado pela Endeavor, 60% dos empreendedores avaliaram o desafio na área jurídica e de regulação de impostos como “extremo”. A dica de ouro para esse problema é a seguinte: não economize ao contratar um Contador!

Existem vários formatos de serviços na área contábil, desde escritórios multinacionais a contadores autônomos mais acessíveis. Para micro e pequenas Empresas, indicamos o SeuContador – eles prezam pela inovação no serviço e pela praticidade. É um investimento para a empresa como um todo e isso vai te deixar livre de ter maiores problemas lá na frente.

Entre as diversas funções do Contador, uma das mais importantes é a garantia de manter a situação tributária regularizada.

É de suma importância pagar os impostos em dia para que se possa garantir os benefícios oferecidos pela União, tais como o Imposto  Simples Nacional. O valor do Imposto varia de acordo com o faturamento da Empresa. Para saber o seu, visite o site do Contabilizei.

O motivo da abertura de uma empresa demorar tanto é a quantidade de processos burocráticos existentes para que se possa finalmente abrir.

Em primeiro lugar, é preciso decidir o tipo e o porte da Empresa. Existem três opções para ambos – Em relação ao tipo, pode ser Empresário Individual, Empresa Individual de Responsabilidade Limitada e Sociedade Limitada (é necessário possuir um sócio). Já no porte, as opções são: empresário Individual (MEI), Micro Empresa (ME), e Empresa de Pequeno Porte (EPP).

Depois, faz-se necessário verificar com a Prefeitura todas as recomendações necessárias (a fase mais demorada!) e o Empreendedor poderá, enfim, abrir a empresa. O MEI é aberto pelo próprio empreendedor na internet. Já as MEs e as EPPs são abertas na Junta Comercial pelo contador. Os Impostos pagos vão variar de acordo com o Faturamento da Empresa.

Para saber o passo-a-passo de como abrir uma empresa, leia esse conteúdo super didático que fizemos em parceria com o SeuContador.

Quando a empresa sair do papel, há mais processos burocráticos envolvidos: tributação, a contratação e demissão de funcionários. É de suma importância que o Empreendedor contrate os funcionários da forma legal – nessa etapa, é importante a presença de um contador para que tudo seja feito da maneira correta.

O que acontece em muitas empresas é uma desregularização na contratação de funcionários (ou seja, funcionários admitidos sem carteira assinada e portanto, sem benefícios), o que pode levar a um processo muito caro para a empresa futuramente caso o colaborador venha a processar.  

Podemos concluir que as questões burocráticas são, de fato, um empecilho para todos os Empreendedores Pernambucanos – mas, não desanime. Ser Empreendedor é sinônimo de ter resiliência e não desistir quando ficar complicado. E não esqueça: considere um contador como um investimento para a sua empresa. Uma opinião especializada vai ser fundamental para manter a empresa dentro da lei.

 

4) Inovação

inovaçao

 

Para se manter competitivo no mercado hoje, todos sabem que é preciso inovar. Segundo o Estudo Causas Mortis do SEBRAE, 55% das empresas fecham por falta de inovação.  O grande desafio é em como e em que inovar: se é no produto, no modo de vender, ou até mesmo no modelo de negócios.

A inovação agrega valor aos produtos de uma empresa e, a partir disso, as empresas podem ter acesso à novos mercados, realizar novas parcerias e aumentar a receita com o negócio.

Em Recife, temos Exemplos de Inovação com o Lotebox e a In Loco Media. Ambas start-ups surgiram a partir de ideias inovadoras: eles viram uma demanda de mercado que ainda não havia sido suprida e trouxeram soluções diferenciadas. 

De acordo com o Depoimento dado por André Ferraz, CEO da In Loco Media, para o estudo do ICE,  “o mercado tecnológico não é muito desenvolvido,  portanto não há competição, então a necessidade por inovação não é muito grande”. Segundo ele, por isso os clientes acabam tendo uma mentalidade mais conservadora, dificultando a validação de novas ideias na cidade, o que pode os levar a migrar o negócio para São Paulo. O ideal, para André, é que a cidade “adote a inovação, além de criá-la”.

E não é só no setor de tecnologia que temos o exemplo de inovação na Capital Pernambucana. No ramo do comércio, as lojas de produtos saudáveis que inovam estão fazendo muito sucesso, apesar do período de instabilidade econômica que estamos vivendo.

Se pegarmos o Exemplo da Greenmix, podemos ver um modelo de negócios totalmente inovador e diferenciado do mercado: é um mercado saudável que possui um Restaurante com um cardápio feito unicamente com ingredientes saudáveis e saborosos, além  de uma padaria com produtos que atendem à um público que possui várias intolerâncias. O lugar reinventou o conceito de mercado saudável e obteve uma alta vantagem competitiva.

Podemos perceber, portanto, que a inovação é essencial para qualquer ramo e para empresas de todos os portes. Em relação a inovação no modelo de negócios, é importante ressaltar a importância da sua empresa ter um modelo bem definido.

Esse modelo tem por objetivo descrever e apresentar de forma holística todas as funções da empresa, possibilitando o empreendedor a refletir sobre cada uma e traçar estratégias de inovação a partir dessa visão sistêmica do negócio.

Clique aqui caso você tenha interesse em fazer o seu Business Model Canvas gratuito.

 

5) Marketing e Vendas

 

marketing

O grande desafio para os clientes é a falta de conhecimento sobre como posicionar a empresa no mercado da forma correta. A gestão da marca, ou branding, é todo o trabalho feito que tem por objetivo tornar a sua marca mais conhecida e desejada pelos clientes.

A grande finalidade do Branding é tornar a sua empresa única para o consumidor. E esse é, de fato, o maior desafio enfrentado pelos Empreendedores.

A primeira estratégia de criação de marketing é entender que as pessoas não querem comprar o quê você vende, mas sim o por quê de você vender. Esse é o conceito do Golden Circle, no qual o círculo possui 3 instâncias: o quê, como e por quê. O que você vende, como você vende e se diferencia no mercado e, a mais importante, o porquê de você vender aquilo, ou seja, o propósito que move a sua empresa.

Se você pensar bem, todas as empresas de sucesso são desejadas pelos clientes devido ao propósito que a marca traz.

A Apple vende um estilo de vida, não computadores.

A MCDonald’s é um sucesso por vender lanches rápidos e praticidade, não hambúrgueres de qualidade.

Isto é, para posicionar a sua empresa de maneira correta no mercado e atrair o público correto, é preciso vender o seu por quê. A partir daí, é possível criar as estratégias de Marketing corretas para vencer esse desafio da propagação da marca.

Além disso, devido à uma falta de conhecimento básico, muitos empreendedores têm dificuldades de encontrar o melhor segmento de mercado para investir. É essencial ter um público-alvo definido e realizar estudos de mercado antes de abrir um negócio para saber exatamente qual é o seu nicho de clientes ideal.

Ao saber o nicho de mercado ideal e como vender a sua marca, a estratégia de divulgação fica à mercê das características do público alvo. Para as empresas B2B (empresas que vendem para outras empresas) a prospecção ativa é algo muito válido – ou seja, fazer reuniões e ligações com possíveis clientes. Entretanto, é essencial a presença de todas as empresas (tanto B2B quanto B2C – empresas que vendem diretamente para o consumidor) nas mídias sociais.

nmn

 

Segundo um Estudo realizado pela FCAP JR. Consultoria com cerca de 30 microempreendedores, 70% teve uma diminuição ou manteve o volume de clientes no último ano.  Esse desafio é constante – a prospecção de clientes, a venda em si e a satisfação da clientela são etapas que devem ter muita prioridade.

 Prospecção e Satisfação de Clientes

A satisfação de clientes é a maior dor dos Empreendedores na área de Marketing, segundo a Endeavor. A fidelização é uma consequência da satisfação – e vender um produto ou serviço para um cliente antigo custa 5 vezes a menos para a empresa do que adquirir um novo cliente. Essa satisfação advém de uma cultura voltada para qualidade dentro da empresa.

Já a prospecção de clientes é considerado o segundo maior desafio. Nessa etapa, é fundamental que os profissionais de Marketing e Vendas estejam alinhados com as Novas Tendências e entre si.  A presença nas redes sociais hoje, por exemplo, é essencial para a prospecção de novos clientes.

É uma forma muito efetiva de divulgação e o preço por cliente custa, geralmente, 61% menos do que no Marketing Tradicional. Através do Marketing Digital, é possível atrair clientes interessados nos seus produtos (leads qualificados), mensurar os resultados e assegurar a credibilidade no mercado.

Independentemente do modo de aquisição de clientes (Ligações, MKT Digital ou MKT tradicional), é importante lembrar que a criação da marca a fim de torná-la única para o consumidor deve ser a prioridade dos Empreendedores. É essencial criar novas formas de divulgação e prospecção e a qualidade do serviço ou produto deve sempre superar as expectativas dos clientes.

Todos os Empreendedores passam, em algum momento da empresa, por esses desafios apresentados. Mas, foi a resiliência deles e a vontade de fazer diferente que os fizeram obter o sucesso.

Ser Empreendedor é saber aprender com os erros constantemente para poder acertar no final.

Resiliência é palavra-chave para quem escolheu essa profissão. Os desafios existem, mas a vontade de vencê-los é ainda maior!

Nós, da FCAP JR. Consultoria, estamos à sua disposição caso você tenha se identificado com alguns desses desafios e esteja buscando por uma solução. Se você ainda não sabe se deve contratar uma Consultoria Empresarial, clique aqui para ler o texto em que mostramos os benefícios de uma Consultoria.

 

Lavínia Pedrosa Analista de Marketing
     Lavínia Pedrosa
Analista de Marketing


1 Comentário

Deixe uma resposta