Planejamento Estratégico: Defina aonde a Sua Empresa Quer Chegar

Planejamento Estratégico: defina aonde a sua Empresa quer chegar

Você sabe aonde a sua empresa vai estar nos próximos 5 anos? Quais são as suas metas a longo prazo? O que você está fazendo em seu trabalho, hoje, para alcançar tais metas?

Se você não soube responder uma dessas três perguntas, você precisa fazer um Planejamento Estratégico para a sua empresa. De maneira geral, planejar a estratégia significa definir qual será o caminho utilizado, tendo em vista os recursos disponíveis da empresa, para chegar ao posicionamento almejado.

É a partir deste planejamento estratégico que a sua empresa estabelecerá as metas, diretrizes e também quais ações devem ser tomadas para alcançar a Visão estabelecida.  

Como diz o ditado popular, “para quem não sabe para onde ir, qualquer caminho serve”. Isto é, para os empreendedores que não possuem uma visão clara de onde querem chegar nos próximos anos, as chances deles seguirem um caminho prejudicial à empresa são grandes.

Segundo o SEBRAE, a principal causa de fracasso das empresas é falta de planejamento prévio. Foi pensando nisso que decidimos fazer um guia completo para criar um planejamento estratégico para que você possa trilhar o caminho correto para a sua empresa!

Podemos dizer que o planejamento estratégico tem por objetivo responder às seguintes questões:

  • Onde estamos?
  • Para onde queremos ir?
  • Como chegar lá?

Continue lendo este guia para que possamos responder essas perguntas e te ajudar a fazer com que sua empresa chegue mais longe!

Onde estamos?

Para responder essa questão, devemos analisar o conjunto de características que representa a cultura organizacional e identificar o que diferencia o seu negócio frente a concorrência. Para isso, se popularizou um conjunto de definições que representam os princípios essenciais da organização:

Missão:  deve responder à pergunta: “o que nós fazemos?”. De forma resumida em uma frase, a missão deve representar o propósito da empresa, o por quê desta existir e deve ser algo que diferencie a empresa da concorrência.

Ex. da missão de uma restaurante: entregar refeições capazes de transformar encontros familiares em momentos únicos.

Visão: É a visão que diz aonde você vai querer estar em alguns anos, mas sendo esta diferente de uma meta. A visão é o sonho da organização e deve ser visada à longo prazo.

Ex.: a meta do Restaurante poderia ser a de aumentar 15% do faturamento todos os anos, mas isso nunca poderia ser a visão. A visão seria um fato de caráter mais ambicioso, como por exemplo “se tornar o restaurante mais bem conceituado da categoria nos próximos cinco anos”.

Valores: São esses valores que vão direcionar a cultura da organização e como as pessoas devem agir no dia-a-dia de trabalho. Exemplos de valores: Resiliência, Transparência, Ética.

Utilize esta ferramenta gratuita da Endeavor para te ajudar na criação da Missão, Visão e Valores.

Identificados tais princípios, faz-se necessário entender também o posicionamento atual da organização no mercado.  Isso é possível a partir da comparação entre as características do ambiente interno – suas forças e fraquezas – e a situação do ambiente externo – oportunidades e ameaças.

Para fazer esta comparação, você pode utilizar a análise S.W.O.T. “SWOT” é a sigla em inglês para Forças (Strengths), Fraquezas (Weakness), Oportunidades (Opportunities) e Ameaças (Threats).

Planejamento Estratégico

Quando analisar as forças e fraquezas internas, faz-se necessário observar os pontos-chave para o bom desempenho da empresa e que os coloca em vantagem e desvantagem em relação aos concorrentes.

Já as Oportunidades e Ameaças tangem ao ambiente externo. Nessa etapa, a concorrência, os fornecedores e os novos entrantes são analisados e também como os clientes observam a sua empresa. É também na parte de oportunidades e ameaças que o ambiente econômico, político e sociocultural é estudado.

Após a criação da S.W.O.T, é importante analisar como as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças se relacionam entre si. As forças e oportunidades, ao serem combinadas, podem gerar insumos interessantes para uma tomada de decisão, como por exemplo, a criação de uma estratégia de Marketing.

Já ao observar as fraquezas combinadas com as oportunidades, é possível decidir quais ações e metas podem ser tomadas para minimizar essas fraquezas por meio das oportunidades.

É interessante fazer essas combinações entre os quatro pontos da S.W.O.T para embasar todas as metas que serão estabelecidas pela empresa.

Para onde queremos ir?

Para responder essa pergunta, é preciso entender qual é o sonho grande de sua empresa: aonde você espera que ela chegue nos próximos anos. Essa é etapa onde você deve definir metas para desdobrar a Visão estabelecida pela empresa.

Por exemplo, caso um dono de salão de beleza decida que a sua Visão é a de “tornar-se referência em cortes de cabelo na zona norte do Recife nos próximos anos”, como iremos desdobrar essa visão em metas tangíveis?

Possuir uma meta de contratar os cinco profissionais mais bem conceituados da cidade no período de um ano pode ser uma das estratégias utilizadas. A criação de Metas deve ser feita com o critério SMART:

Specific (específica): tornar a meta livre de ambiguidades. É importante que ela seja muito clara para que todos possam entender. Por exemplo, uma meta ruim nesse caso seria “melhorar o atendimento dos clientes”. Já a meta correta seria “diminuir em 80% o tempo de espera dos clientes”.

Measurable (mensurável): tudo deve ser mensurável para que possa ser gerenciado.

Attainable (alcançável): não adianta criar uma meta impossível de se atingir. É essencial que a meta seja alta o suficiente para que haja um grande esforço da equipe, mas ela precisa ser alcançável.

Relevant (relevante): é importante colocar metas que terão impacto nas métricas principais (como por exemplo faturamento e satisfação de clientes). Caso a meta não seja relevante para o alcance da Visão, não faz sentido existir.

Time-bound (temporal): estabelecer o prazo para a realização das metas é essencial. Parafraseando Jeremy Wright, “Uma tarefa sem prazo é uma tarefa que nunca será feita”.

Para ajudar na criação das metas, a ferramenta BSC (Balanced Scored Card) pode ajudar a tornar o processo mais eficaz. Essa ferramenta aborda as metas em quatro perspectivas:    

                       

Planejamento Estratégico

  1. Aprendizado e Crescimento: é relacionado com a habilidade de inovar e melhorar dentro da empresa. Nessa perspectiva, poderão ser elaboradas metas de capacitação, inovação, alinhamento de informações e motivação.
  2. Processos internos: poderão ser criadas metas relacionadas a todos os processos essenciais para assegurar a qualidade nos serviços e a satisfação dos clientes.                     
  3. Cliente: essas metas são feitas na perspectiva de como a empresa quer ser vista pelo consumidor. Por exemplo, metas relacionadas à fidelização dos clientes
  4. Financeira: aumentar o faturamento e a receita podem ser algumas das metas financeiras.

Antes de criar cada meta, é importante se perguntar: para alcançar a visão almejada, que ações devem ser tomadas?  

Como chegar lá?

“O que não é medido, não é gerenciado”

Para cada meta criada, é importante possuir indicadores de desempenho para que as metas possam ser devidamente medidas, e consequentemente, gerenciadas. Também chamados de KPI, os indicadores são métricas que quantificam sua performance de acordo com seus objetivos organizacionais.

A única forma de atingir as metas pré-estabelecidas é fazendo o gerenciamento das mesmas através destes indicadores. A elaboração e a gestão destes devem ser direcionadas para o monitoramento da evolução dos resultados da empresa e servir como referência para a criação de estratégias de melhoria.

É fazendo esse desdobramento da meta que você conseguirá definir ações tangíveis que devem ser feitas no dia-a-dia para que você consiga alcançar a visão.

Vamos voltar ao exemplo da meta de “contratar os cinco profissionais mais bem conceituados da cidade no período de um ano”. Um indicador específico para essa meta seria a de número de negociações com profissionais conceituados por mês.  

Definindo o seu posicionamento atual, onde você deseja chegar e como você vai fazer para chegar lá, a sua empresa conseguirá crescer de forma perene e sustentável.

Caso você tenha alguma dúvida em como fazer um planejamento estratégico, entre em contato conosco! Estamos 100% disponíveis para te ajudar. 

lavinia23



Deixe uma resposta